30 de janeiro de 2008

A sétima trombeta


PARA SER EDITADO...
EM BREVE ESTARÁ DISPONÍVEL NA ÍNTEGRA..


A sétima trombeta
No Antigo Testamento, a trombeta era um instrumento musical de sopro formado por um tubo de metal mais ou menos comprido e afunilado na extremidade por onde se emboca, usado pelos sacerdotes, de forma literal. No Novo Testamento, sua aplicação foi estendida ao espiritual, onde o anjo (mensageiro) substituiu o nome do sacerdote, e o instrumento: a trombeta, foi aplicado ao corpo humano como o instrumento, para usado pelo espírito (anjo) .
Segundo o profeta William Marrion Branham, cada trombeta (homem) foi um mensageiro dado ao anjo (espírito) a cada era da igreja, como foi mostrado claramente pela Bíblia: "Porque os lábios do sacerdote devem guardar o conhecimento, e da sua boca devem os homens buscar a lei porque ele é o ANJO do SENHOR dos Exércitos." Malaquias 2:7 e também Paulo disse: "Porque esta mesma noite o anjo de Deus, de quem eu sou, e a quem sirvo, esteve comigo," Atos 27:23. Enoque foi o sétimo depois de Adão e anunciou a vinda do Senhor, sendo arrebatado vivo, assim como os que estão em Cristo ( 1 Co 15). João Batista foi o profeta Elias enviado para anunciar a vinda do Messias, sendo o profeta a grande trombeta que soou naqueles dias. Em nossos dias, a sétima trombeta (última trombeta) soou através do mesmo ministério profético de Elias, que assim como foi com João Batista, assim aconteceu com o irmão William Marrion Branham.
A trombeta chama a igreja para um ajuntamento e posteriormente para uma partida. O tempo da Igreja cristã foi dividido em sete tempos, ou até que se concluíssem os tempos da restauração de Tudo. Cada tempo, foi dividido (pelo profeta) como sendo sete eras e cada era teve um profeta maior. Ele começou citando Paulo como o primeiro anjo da igreja, Irineu como o segundo anjo, Martin como o terceiro anjo, Columba como o quarto anjo, Martinho Lutero, o quinto anjo e Jonh Wesley o sexto anjo. O Sétimo anjo, o profeta William Branham afirmou tratar-se do profeta Elias, o que se pode concluir pelo seu próprio ministério que exerceu no século passado, que se trata do mesmo espírito e virtude de Elias . Assim afirmamos que Deus enviou novamente o profeta Elias (Espírito de Profecia) na pessoa do irmão William Marrion Branham. Parece algo fantástico demais para se acreditar, mas explicaremos mais detalhadamente a seguir:

Jesus disse do profeta Elias em dois tempos: um que Elias virá (futuro) e restaurará todas as coisas, assim como está escrito que nos dias da voz do sétimo anjo, quando tocar (futuro) sua trombeta se cumprirá os mistérios de Deus como anunciou aos seus servos os profetas. Referência clara a Amós 3:7 que diz: "Mas o Senhor Jeová não fará coisa alguma sem antes ter revelado seu segredo aos seus servos, os profetas".
Em seguida Jesus diz que Elias já veio (passado), como está escrito em Apoc. 11:15, que diz: "E tocou o sétimo anjo a sua trombeta..", mostrando um evento no passado e outro no futuro. Para os incrédulos, o tempo dos profetas foi até João e dizem que agora só o pastor e as pastoras, bispas e outros segmentos podem profetizar, mas será que Deus não tinha um profeta na terra depois que Jesus subiu ao céu?
Para esclarecer esses argumentos que a lei e os profetas só duraram até João (como está escrito na Bíblia), vamos relembrar que após Jesus ter subido aos céus, ele deixou um profeta chamado Paulo, outro chamado João (que escreveu o livro de Apocalípse), um profeta chamado Ágabo, Tiago e Silas e inclusive, Barnabé e muitos outros que vieram posteriormente até chegar em nossos dias. Claro que para quem não nasceu para crer nos profetas, não creria de nenhuma forma, mesmo que fossem vindicados como verdadeiros, como o profeta William Marrion Branham, que profetizou no século XX.

Se a lei não tem mais valor, assim como os profetas, então porque ir a igreja? Se os cristãos primitivos usavam somente o "VELHO TESTAMENTO", pois ainda não tinha sido feito uma Bíblia com o chamado "NOVO TESTAMENTO" como então conferiam as escrituras? Baseado somente nas cartas? Ora, as cartas deveriam ser escritas baseada no que já estava escrito pelos profetas, portanto os discípulos liam somente o Antigo Testamento e passaram a escrever suas próprias vidas nessas páginas. "Ora, estes foram mais nobres do que os que estavam em Tessalônica, porque de bom grado receberam a palavra, examinando cada dia nas Escrituras se estas coisas eram assim." Atos 17:11

Quando afirmam que a lei deixou de existir, então se pode matar, roubar, prostituir, pois não temos mais lei, inclusive adorar uma trindade politeísta dos crentes pagãos. Mas se existe uma lei que diz que não pode haver outros deuses, que só HÁ UM DEUS ÚNICO E VERDADEIRO, então essas escrituras mostram o que Jesus disse: que ele não veio para acabar com a lei e os profeta, mas para cumprir. Um profeta não é nada mais, nada menos que um homem de carne como qualquer um de nós, sujeito as mesmas paixões. O que diferencia um homem do outro é justamente o Espírito que n'ele está, sendo assim, quem profetiza através do homem é o próprio Deus.

O livro de Apocalipse foi escrito por um profeta que veio depois de João e o próprio Jesus era e é o profeta, Rei e Sacerdote. Paulo veio depois de Jesus, dos discípulos, e deixou claro que era um apóstolo e profeta, assim como diversas citações de profetas registrado no livro de Atos. O que se extinguiu foi o ofício profeta como profissão estatal remunerada. No Velho Testamento, os profetas eram regulamentados, como a função de pastor em nossos dias e recebiam salário, mas os profetas menores, que escreveram partes da Bíblia, não exerciam por profissão, como o profeta Amós (Amós 7:14).

Se não tem profeta, não tem pastor e tão pouco existe igreja, mas se existe pastor, também tem apóstolos, evangelistas, mestres e profetas. Esse profeta pode variar em grandeza, dependendo da obra que Deus estiver fazendo, como João Batista por exemplo, que não fez nenhum milagre, não abriu o mar e nem parou o sol em sua morada, mas somente apresentou o cordeiro de Deus.

Em apocalípse 11:1-14, vemos que a Bíblia relata a presença de dois castiçais e logo adiante mostra dois profetas, profetizando por três anos e meio. Ora, se os dois castiçais representam duas igrejas, então nos sete castiçais tem também sete profetas, pois o anjo de cada igreja tem que mostrar as coisas que Deus está fazendo e isso tem que ser através de um profeta, pois os pastores simplesmente pregam baseado na mensagem do profeta. Pastor não é profeta, mas profeta pode ser um pastor ou um apóstolo, enfim, o que Deus quiser que ele seja, conforme a necessidade da Igreja.

O profeta William Marrion Branham veio com o espírito e virtude de Elias e seu ministério não se limita a um único ofício de Efésios 4:11, mas a todos os demais ofícios, como ele mesmo mostrou. Foi pastor, depois chamado para ser evangelísta, profetizou e exerceu o dom de cura e dicernimento de espíritos, foi missionário e falou em línguas, etc. No caso específico de Efésios 4:11, esses dons são particulares a membros efetivos da igreja. No caso do irmão Branham, ele foi o profeta Elias mesmo. Ou seja, o Sétimo Anjo, ou o Espírito de Deus o separou para anunciar a segunda vinda de Cristo, preparando através da Mensagem de Restauração de Tudo,conforme Atos 3:19-21.

As sete taças representam os sete tempos dado aos mesmos sete anjos, para que as suas igrejas se arrependessem e quando completado esse tempo, então a taça era derramada.
Não espere a última taça ser derramada e não pense que a sétima trombeta ainda vai soar, pois certamente irá ouvir as mesmas palavras que Jesus disse: Elias já veio e não reconheceram, ou seja, a sétima trombeta já soou e não ouviram o seu toque, sendo então reprovados. Em cada jubileu a trombeta soava para que os servos fossem livres e aqueles que rejeitavam a liberdade, ficavam sendo escravos perpetuamente.

Nenhum comentário: