28 de outubro de 2008

BATISMO EM NOME DO SENHOR JESUS CRISTO

Tabernáculo de Cristo


Sabemos que:
  • Há somente um único e soberano Deus criador dos céus e da Terra, perfeito, Onipresente, Onipotente e Onisciente, Indivisível e Impessoal, sendo a fonte que mantém toda a existência tanto no mundo visível como no mundo invisível.
  • Que há somente uma única pessoa física de Deus, sendo o Senhor Jesus Cristo, o corpo humano que foi gerado através de uma virgem imaculada. Não cremos que Espírito seja uma pessoa, muito menos distinta e nem consideramos o título de Pai como se referisse a uma outra pessoa fora de Jesus.
  • Cremos que o batismo correto é EM NOME do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo, sendo PAI - SENHOR, FILHO - JESUS e ESPÍRITO SANTO - CRISTO, portanto: EM NOME DO SENHOR JESUS CRISTO.
  • O batismo por imersão completa é somente para adultos que tem condições de confessar sua fé, sendo esta uma forma de aceitação pública da doutrina estabelecida.
  • Cremos na Mensagem do profeta William Marrion Branham como fonte secundária de ensino bíblico, sobrepujando qualquer interpretação teológica, ou revelação pessoal.

O batismo


O batismo cristão é ministrado da perspectiva da redenção obtida pela morte, ressurreição e ascensão à glória e autoridade de Jesus. O batismo na igreja primitiva era administrado em nome do Senhor Jesus Cristo. Paulo disse: “Porque todos sois filhos de Deus pela fé em Cristo Jesus; porque todos quantos fostes batizados em Cristo já vos revestistes de Cristo. Nisto não há judeu nem grego; não há servo nem livre; não há macho nem fêmea; porque todos vós sois um em Cristo Jesus”. (Gl 3:26-28).

Em Atos isso implica a invocação que o crente fazia do nome de Cristo para ser salvo (At 22:16), em vista do perdão conquistado por Jesus. Por isso, o batismo identifica o crente com a nova comunidade messiânica:. “E disse-lhes Pedro: Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo para perdão dos pecados, e recebereis o dom do Espírito Santo. Porque a promessa vos diz respeito a vós, a vossos filhos e a todos os que estão longe: a tantos quantos Deus, nosso Senhor, chamar”. (At 2:38-39) Está escrito: “e, em seu nome, se pregasse o arrependimento e a remissão dos pecados, em todas as nações, começando por Jerusalém.” (Lucas 24:47)
O conceito básico de batismo para Paulo era que o crente é batizado “em Cristo” e o liga à sua morte e ressurreição (Rm 6:3). Com isso, os cristãos participam da vitória de Cristo sobre o pecado e sobre a morte (Rm 6:4; Cl 3:3). Por tudo isso, o batismo era o primeiro ato público do crente e o identificava com a morte salvadora de Cristo, com os salvos e com a missão de salvação. Paulo escreveu: “Doutra maneira, que farão os que se batizam pelos mortos, se absolutamente os mortos não ressuscitam? Por que se batizam eles, então, pelos mortos?” (1 Co 15:29). O batismo é para todo aquele que crer na ressurreição que é a base do cristianismo, na esperança de fazer parte dela, começando de forma simbólica: "De sorte que fomos sepultados com ele pelo batismo na morte; para que, como Cristo ressuscitou dos mortos pela glória do Pai, assim andemos nós também em novidade de vida” (Rm 6:4). Paulo torna a dizer: “Sepultados com ele no batismo, nele também ressuscitastes pela fé no poder de Deus, que o ressuscitou dos mortos.” (Cl 2:12). Por isso Jesus disse: “E disse-lhes: Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda criatura. Quem crer e for batizado será salvo; mas quem não crer será condenado.” (Mc 16:15-16). Quando Jesus disse: “Portanto, ide, ensinai todas as nações, batizando-as em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; ensinando-as a guardar todas as coisas que eu vos tenho mandado; e eis que eu estou convosco todos os dias, até à consumação dos séculos. Amém!” (Mt 28:19-20), estava se referindo ao NOME que seria revelado pelo Espírito Santo, por isso mandou que ficassem em Jerusalém (Lc 24:47) O que foi citado por Jesus, escrito por Mateus, é mais uma ordem codificada que seria explicada após receberem o Espírito Santo, pois Jesus falava por parábolas: “E, acercando-se dele os discípulos, disseram-lhe: Por que lhes falas por parábolas? Por isso, lhes falo por parábolas, porque eles, vendo, não vêem; e, ouvindo, não ouvem, nem compreendem. Tudo isso disse Jesus por parábolas à multidão e nada lhes falava sem parábolas” (Mateus 13:10,13,34). Quando Jesus estava na terra, na forma humana, dava-se a entender que havia um só Deus, o Pai: “todavia, para nós há um só Deus, o Pai, de quem é tudo e para quem nós vivemos; e um só Senhor, Jesus Cristo, pelo qual são todas as coisas, e nós por ele”. (1 Co 8:6), e que Jesus como homem, na forma humana, seria somente um mediador: “Porque há um só Deus e um só mediador entre Deus e os homens, Jesus Cristo, homem.” (1 Tm 2:5). Paulo disse: “um só Deus e Pai de todos, o qual é sobre todos, e por todos, e em todos”. (Ef 4:6). Agora, Jesus é sem dúvida Deus que se fez carne, pois a Palavra de Deus se fez carne e habitou entre nós (Jo 1:14). Por isso João disse: “Porque três são os que testificam no céu: o Pai, a Palavra e o Espírito Santo; e estes três são um”. (1 Jo 5:7) Jesus não disse que era a segunda pessoa de Deus, mas: “Saí do Pai e vim ao mundo; outra vez, deixo o mundo e vou para o Pai.” (Jo 16:28), pois somente de Deus procede todas as coisas existentes, por isso ele disse: “Disse-lhes, pois, Jesus: Se Deus fosse o vosso Pai, certamente, me amaríeis, pois que eu saí e vim de Deus; não vim de mim mesmo, mas ele me enviou.” (Jo 8:42). Jesus disse claramente: “... e eu não vim de mim mesmo, ...” (João 7:28). Jesus saiu de Deus (que não muda) para ser uma pessoa ou um corpo humano ligado ao Pai (Jo 17: 21) por isso ele disse: “Eu e o Pai somos um”. (Jo 10: 30). O Espírito Santo não é uma pessoa distinta, com personalidade própria e independente, mas o Espírito de Deus que é Santo, existente no mundo invisível. Jesus disse: “Mas, quando vier o Consolador, que eu da parte do Pai vos hei de enviar, aquele Espírito da verdade, que procede do Pai, testificará de mim” (João 15:26). Todos os poderes e sentimentos abstratos são operados através do Espírito Santo que vem de Deus (1 Co 12:3-13)
Em nenhum lugar da Bíblia se encontra a palavra TRINDADE, Deus filho ou Deus espírito, mas filho de Deus e Espírito Santo de Deus, pois são formas de atuação do mesmo Deus, que sendo Espírito (Jo 4:24) se manifestou em carne (1 Tm 3:16), mas sendo somente um só Deus (Mc 10:18), sendo o único Senhor (Ef 4:4-6), pois só o Senhor é Deus: “A ti te foi mostrado para que soubesses que o SENHOR é Deus; nenhum outro há, senão ele. Pelo que hoje saberás e refletirás no teu coração que só o SENHOR é Deus em cima no céu e embaixo na terra; nenhum outro há.” (Dt 4:35 e 39). Ainda antes que Jesus tivesse nascido, existia apenas um Deus, sendo o pronome pessoal “EU”, como está escrito: “Vós sois as minhas testemunhas, diz o SENHOR, e o meu servo, a quem escolhi; para que o saibas, e me creiais, e entendais que eu sou o mesmo, e que antes de mim deus nenhum se formou, e depois de mim nenhum haverá. Eu, eu sou o SENHOR, e fora de mim não há Salvador.” (Is 43:10-11). Em nenhum momento foi escrito que havia três pessoas distintas formando UM DEUS, mas está escrito: “Vede, agora, que eu, eu o sou, e mais nenhum deus comigo; eu mato e eu faço viver; eu firo e eu saro; e ninguém há que escape da minha mão.” (Dt 32:39).
Jesus foi gerado no ventre de Maria pelo Espírito Santo de Deus (Mt 1:20) e foi chamado de “Filho de Deus” (Lc 1:35) que seria EMANUEL, o ungido, que quer dizer: “Deus conosco” (Mt 1:23). JESUS em hebraico é YeHSHUA ou YaHSHUA que significa “Eu Sou, Salvador” ou “Yahweh Salvador”. Após vencer a morte e ressuscitar, Deus fez de Jesus SENHOR e CRISTO (At. 2:36), por isso Jesus disse que TODO O PODER nos céus e na terra lhe foi dado (Mt 28:18) e mandou que batizasse em SEU NOME. Para se entender essa suposta diferença entre Mateus 28:19 e Atos 2:38, precisa-se conhecer o que a Bíblia fala de Deus, e como se manifestou em três títulos em cada tempo, mas sendo somente uma única pessoa - JESUS.

Deus é Espírito (Jo 4:24), que preenche os céus (mundo invisível ou espiritual) e a terra (mundo material) (Jr 23:24), que veio ao mundo na forma de homem (Fp 2:6-11), mas sem deixar de ser Deus: “estava no mundo, e o mundo foi feito por ele e o mundo não o conheceu”. (Jo 1:10). Antes do nascimento de Jesus, Deus não tinha um corpo de carne para habitar corporalmente (Col 2:9), por isso falava antes através dos seus mensageiros (Hb 1:1).O pai (genitor) de Jesus é o Espírito Santo (Mt 1:20), mas não são dois pais e sim o Espírito que vem do pai (Jo 15:26). Como Espírito, Deus não tem forma física, agora Jesus sim, tem carne e ossos como mostrou para Tomé (Lc 24:39) e hoje está no céu e logo voltará (Atos 1:11).
Se no batismo os títulos de pai, filho e Espírito Santo fossem uma fórmula para ser repetida e não compreendida, seria escrito em outras partes da Bíblia, como o nome de Jesus está em Atos. Muitos crentes ficam somente com um versículo isolado como Mateus 28:19, por causa da “Trindade”, sem levar em conta que todo o Novo Testamento prega somente o nome do Senhor Jesus Cristo. Paulo disse: “E, quanto fizerdes por palavras ou por obras, fazei tudo em nome do Senhor Jesus, dando por ele graças a Deus Pai.” (Cl 3:17), com o batismo não poderia ser diferente, pois é uma obra que está sendo realizada: “dando sempre graças por tudo a nosso Deus e Pai, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo” (Ef 5:20). Por isso os discípulos disseram: “E em nenhum outro há salvação, porque também debaixo do céu nenhum outro nome há, dado entre os homens, pelo qual devamos ser salvos.” (At 4:12).
Paulo fez uma alusão ao batismo sendo citado o nome como pessoa: “para que ninguém diga que fostes batizados em meu nome” (1 Co 1:15), mostrando que o batismo deveria ser a invocação em nome do Senhor Jesus Cristo, não em outro nome de pessoa ou título, como Pai, Filho e Espírito Santo. Quando se batiza, invoca-se um nome sobre a pessoa, pois esse é o início de um novo nascimento na qual a pessoa recebe o nome que é sobre todo o nome (Fp 2:9-10), para ser parte da família cristã (Ef 3:15). Como PAI ou FILHO não é um nome próprio e Espírito Santo (substantivo + adjetivo) é a natureza do Espírito de Deus que opera em todos (1 Coríntios 12:11), então o único nome dado entre os homens que poderia ser invocado é o do Senhor Jesus Cristo (Atos 10:48). Infelizmente ainda existem crentes que rejeitam esse nome (At 4:17).
Quando no batismo se diz somente PAI, deve-se dizer qual é o nome do Pai, pois o mesmo Jesus que disse que há somente um PAI (Mt 23:9), disse também que o diabo é “Pai” da mentira (Jo 8:44), por isso deve-se dizer o nome do PAI que é O SENHOR, assim como o Filho é JESUS, pois tem também o “Filho” da perdição (Jo 17:12 e 1 Jo 3:10). E o nome do ESPÍRITO SANTO? De qual espírito se está invocando? Os anjos são espíritos. Por isso seu nome que se dá quando o Espírito de Deus desce sobre um homem é CRISTO conforme Jesus disse: “Mas aquele Consolador, o Espírito Santo, que o Pai enviará em meu nome, vos ensinará todas as coisas e vos fará lembrar de tudo quanto vos tenho dito”. (João 14:26)



Pai, Filho e Espírito Santo

SENHOR JESUS CRISTO


Não são três pessoas distintas formando um DEUS, mas o mesmo Deus o tempo todo atuando em essas e outras formas. Está escrito: “Quem crê nele não é condenado; mas quem não crê já está condenado, porquanto não crê no nome do unigênito Filho de Deus.” (Jo 3:18). Toda a Bíblia procura mostrar que há somente ”Um só Senhor, uma só fé, um só batismo; (Ef 4:5). E quando se diz: UM SÓ BATISMO se refere ao batismo correto em NOME do Senhor Jesus Cristo, e até aqueles que foram batizados no batismo de João ou sendo citados apenas os títulos de Pai, Filho e Espírito Santo devem ser batizados novamente, ou rebatizados, como fizeram os discípulos de João Batista, quando encontraram o apóstolo Paulo, como está escrito: “E sucedeu que, enquanto Apolo estava em Corinto, Paulo, tendo passado por todas as regiões superiores, chegou a Éfeso e, achando ali alguns discípulos, disse-lhes: Recebestes vós já o Espírito Santo quando crestes? E eles disseram-lhe: Nós nem ainda ouvimos que haja Espírito Santo. Perguntou-lhes, então: Em que sois batizados, então? E eles disseram: No batismo de João. Mas Paulo disse: Certamente João batizou com o batismo do arrependimento, dizendo ao povo que cresse no que após ele havia de vir, isto é, em Jesus Cristo. E os que ouviram foram batizados em nome do Senhor Jesus. E, impondo-lhes Paulo as mãos, veio sobre eles o Espírito Santo; e falavam línguas e profetizavam. Estes eram, ao todo, uns doze varões.” (At 9:1-7).
Apolo era conhecedor das Escrituras, mas teve que ser batizado novamente (At 18:24-26) e da mesma forma, os evangélicos ou crentes que só foram batizados sendo citado os títulos de PAI, FILHO e ESPÍRITO SANTO devem ser novamente batizados. Não são dois batismos, mas um, o da confissão de fé. Para os que creem na Trindade, usam somente os “títulos” pois ainda não conhecem a Deus, mas o que creem que há somente um único Deus, batiza-se em nome do Senhor Jesus Cristo. Uma vez batizado em nome de Jesus não precisam mais ser batizados novamente “Disse-lhe Jesus: Aquele que está lavado não necessita de lavar senão os pés, pois no mais todo está limpo. Ora, vós estais limpos, mas não todos” (Jo 13:10).
O batismo leva a pessoa a um novo nascimento e implica uma mudança gradativa e progressiva de vida: “Não erreis: nem os devassos, nem os idólatras, nem os adúlteros, nem os efeminados, nem os sodomitas, nem os ladrões, nem os avarentos, nem os bêbados, nem os maldizentes, nem os roubadores herdarão o Reino de Deus. E é o que alguns têm sido, mas haveis sido lavados, mas haveis sido santificados, mas haveis sido justificados em nome do Senhor Jesus e pelo Espírito do nosso Deus.” (1 Co 6:10-11). Além do uso correto de vestimentas cristãs (1 Pe 3:2 e Deut. 22:5) cuidado com os cabelos (1 Co. 11:1-16). Paulo disse: “Já por carta vos tenho escrito que não vos associeis com os que se prostituem; isso não quer dizer absolutamente com os devassos deste mundo, ou com os avarentos, ou com os roubadores, ou com os idólatras; porque então vos seria necessário sair do mundo. Mas, agora, escrevi que não vos associeis com aquele que, dizendo-se irmão, for devasso, ou avarento, ou idólatra, ou maldizente, ou beberrão, ou roubador; com o tal nem ainda comais. Porque que tenho eu em julgar também os que estão de fora? Não julgais vós os que estão dentro? Mas Deus julga os que estão de fora. Tirai, pois, dentre vós a esse iníquo.” (1 Co 5:9-13). Ser cristão implica direitos e deveres com a Palavra de Deus.


TABERNÁCULO DE CRISTO



Nenhum comentário: