18 de novembro de 2016

Denúncia pública da filha do irmão Branham sobre peculado - Sarah

Os textos a seguir são compilações de outros autores que publicaram informações que são pouco conhecidas e que acredito fazer parte de uma resposta imediata ao crescente número de seitas evangélicas que estão se desviando da verdade para promover suas próprias interpretações.

A irmã Sarah, foi colocada como sendo um problema para muitos, principalmente da linha da Mensagem, onde pastores passaram a desaprovar sua conduta e opção de religiosidade, onde ela mesmo que tenha seus defeitos, teve a coragem de expor suas palavras para que possam julgar conforme queiram o que ela considera uma verdade. Ela cometeu suas falhas e se desviou como qualquer outros ser humano pode fazer e isso é algo que só cabe a Deus julgar. A diferença no que é dito para o que tentam encobrir é a verdade inserida na Carta.
A exposição dessa temática a seguir é só uma amostra que todos os cristãos devem estar sempre olhando para Jesus - que é o autor e consumador da nossas fé. Para que se crie um monopolismo clientelista, os grupos dominantes da Mensagem estão usando imagens de homens santos para promoverem um verdadeiro aprisionamento de mentes das pessoas mais desavisadas, que por ingenuidade ou mesmo ignorância, não entendem que qualquer mortal é passível de pecar e que Jesus foi dado para ser o meio de arrependimento.
Se os filhos do profeta erraram, como os filhos de Eli, então cabe a Deus julgá-los e também serão julgados os que defendem o acerto ou o erro da mesma forma. Conhecer a verdade nunca é demais e por em prática é algo que muitos não tem essa ousadia, mas Deus sempre terá profetas para trazer a tona o que o mundo religioso tenta se esconder. 

O irmão Branham é sem dúvidas, um profeta. Ser profeta não significa ser perfeito e muito menos ser um deus ou como outros mais hereges tentam fazer: um Deus. É lamentável o nível de apostasia de grupos da Mensagem que usam a imagem do irmão Branham para promover um verdadeiro culto de idolatria como satanás queria fazer com o corpo de Moisés. Já há pessoas fazendo excursões para o túmulo do irmão Branham e outros que tentam trocar a imagem do profeta pelo seu filho Joseph Branham. Já há linhas divergentes que dizem que Joseph é um novo profeta substitutivo, como se Deus tivesse uma linha sucessória de profetas. Quando fazem isso, os hereges da Mensagem acabam por limitar o poder de Deus a uma visão arcaica e profana do papismo romano e excluí os verdadeiros dons que são dados por Deus para edificação do corpo de Cristo na Terra. 

Se por um tempo Billy Paul cometeu erros ou falhas, ou se ainda comete, é por ser humano assim como Joseph e também Sarah e Rebeca. É muito fácil tomar partido de uma parte mais forte ou mais privilegiada, mas para o cristão, o que importa é a verdade que virá tanto de um lado como do outro. Não se trata de ter uma visão unilateral, onde a parte dominante passa a ser a verdadeira e a que cometeu pequenas falhas seja a errada, mas de permanecer com a verdade ainda que seja escandalosa como essa carta da irmã Sarah Branham. 
Ela cometeu erros doutrinários e até foi além do que deveria quando expôs sua opção religiosa, mas mesmo assim ainda continua uma Branham. Por ser uma Branham, deveria ser vista como tal e não como uma pessoa excluida, pois ela denuncia esse descaso religioso não só da própria família, mas dos próprios fanáticos pelo irmão Branham (que já está morto). Incrível que até mesmo os que idolatram o irmão Branham desprezam Sarah por não poderem manipulá-la como gostariam. Como mulher, ela certamente deveria estar calada, mas e se foi Deus mesmo quem enviou ela para falar de coisas que os falsos protagonistas da Mensagem jamais falariam? A Mensagem é pura e eficaz, mas carece de verdadeiros homens de Deus comprometidos com a verdade para fazer a diferença nessa Era corrupta dos denominacionais. 
Sendo um profeta, o irmão Branham teria que refletir a condição da Era na sua própria vida. Os filhos do profeta e a própria familia ou particularidades dele teria que refletir na sua Mensagem. Excluir o testemunho de Sarah e ficar somente com o testemunho de Billy Paul é ter visão unilateral preconceituosa, pois ambos fazem parte desse ministério que Deus levantou nesse século XX. 

William Branham's estimated net worth in 1965
Sarah Branham published that her father, William Branham, had control of funds of $3,113,676 at the time of his death, plus stocks.

2013 equivalent dollars $3,100,000 USD in 1965 would equal almost $23,500,000 million USD in 2016 equivalent dollars. That would be enough wealth to put William Branham in the top 150,000 richest people in the world today or well within the top 0.005% of the wealthiest people in the world.
Voice of God Recordings, the entity controlled by William Branham's sons and dedicated to spreading William Branham's message, reported assets of $109,834,481 on its US tax return as of June 30, 2011. 
(tradução)
O patrimônio líquido estimado de William Branham em 1965 Sarah Branham publicou que seu pai, William Branham, tinha o controle dos fundos de $ 3,113,676 na altura de sua morte, mais ações. 2013 dólares equivalentes US $ 3.100.000 em 1965 equivaleria a quase US $ 23.500.000 milhões em dólares equivalentes a 2016. Isso seria suficiente riqueza para colocar William Branham no top 150.000 pessoas mais ricas do mundo hoje ou bem dentro do topo 0,005% das pessoas mais ricas do mundo. Voice of God Recordings, a entidade controlada pelos filhos de William Branham e dedicada a divulgar a mensagem de William Branham, relatou ativos de US $ 109.834.481 em sua declaração de impostos dos EUA em 30 de junho de 2011.
------------------------------------   --------------------------   -------------------------    ----------------------------    ---------------------
Alerta da irmã Sarah Branham - filha do profeta William BranhamO texto abaixo foi traduzido pelo google.

A CARTA DE SARAH BRANHAM DE CORADO
Por Sarah Branham De Corado - Nova Iorque, Julho de 1989

À Noiva de Cristo - os seguidores da mensagem " Porque muitas pessoas que eu tenho procurado por ajuda durante todos estes anos me perguntaram a razão pela qual eu estou em necessidade - a única dos filhos do irmão Branham, incluindo netos e sogros, enquanto todos eles vivem nos luxos e confortos que O mundo pode fornecer. Uma vez que nenhum deles já trabalhou; Por que não estou incluída nisto?
Sinto que devo expor publicamente várias coisas que aconteceram desde os dias em que meu pai morreu. Como você sabe, minha mãe e eu éramos as únicas sobreviventes. Agora ela morreu e eu sou a única testemunha viva do que realmente aconteceu no carro.
Não sei quantas vezes a minha mãe me disse: "Leve-a consigo para o túmulo." O que ela quis dizer com isso, tenho de lhe dizer agora. Parece que não posso viver mais com isso e estou certa de que não poderia morrer com ele. Eu estou ficando tão nervosa mesmo pensando sobre isso, simplesmente não posso continuar mais. No jeito que eu vejo, ele está indiretamente ligado ao acidente de meu pai.
Lembro-me que meu pai era muito conturbado antes de sairmos Tucson para as reuniões Jeffersonville onde ele era pregar "A trilha da serpente" e expor nomes das pessoas desta mensagem que estavam fazendo errado incluindo membros da família. Nesta tensão, deixamos o Arizona. O último argumento antes de sair era porque minha irmã Becky queria ficar no apartamento com sua amiga Betty Collins. Meu pai nunca quis que ela ficasse. Finalmente cedeu como a mãe já havia concordado e a deixou ali. Ela deu a sua palavra que ela não iria deixar o apartamento.
Todo o dia meu pai estava preocupado e ele iria parar e chamar, mas ela não respondeu. Nós viajamos até paramos no tempo de noite para comer. Meu pai ordenou sua comida e então ouvi-o dizer à mãe: "Vou ligar para Becky mais uma vez." Ele ligou e voltou para a mesa muito chateado. Ele se virou para a mãe e disse: "Ela não está lá." Ele tinha ordenado um pedaço de torta, mas nunca comeu. Quando saímos José foi no carro com Billy Paul e Loyce que nunca teria acontecido em qualquer outro momento.
Só porque meu pai estava tão perturbado que ele nem sequer notou. Eu fiquei no banco de trás, mãe e pai na frente. Eles começaram a discutir imediatamente. Ele estava muito chateado, porque Becky não estava no apartamento como ela havia prometido. Minha mãe começou a tomar conta dela. Meu pai voltou-se para a mãe e disse: "Você sabe onde ela está." Mãe começou a chorar dizendo: "Por favor, Bill ..." Eu deitei no banco de trás do carro, porque eu estava muito chateada também, como esta foi a primeira vez que eu nunca tinha visto e ouvido eles argumentam nesse tom meu pai disse: Minha mãe continuavam a pedir. "Eu estou indo para expor muitas coisas e nomes neste momento.": "por favor, não, Bill ..."
Eu sei que meu pai era um piloto muito cauteloso, sempre mantendo limites de velocidade e observando o tráfego. Em circunstâncias normais, ele teria reagido e evitado o carro vindo em sua direção. Enquanto falava, ele olhou para a mãe durante essa conversa desagradável. Só então aconteceu.
Essa foi a última coisa de que me lembro, antes do acidente até eu chegar na ambulância. Mais tarde eu descobri que Rebekah estava com Pearry Green e eles tiveram um tempo difícil para encontrá-la para deixá-la saber sobre o acidente. Eu estava dois meses no hospital.
Quando cheguei em casa, minha mãe agiu muito nervosa ao meu redor. Finalmente ela se aproximou de mim e queria saber o quanto eu tinha lembrado antes do acidente. Ela me disse para não mencionar ou falar sobre isso nunca mais, mas para levá-lo comigo para o túmulo.
Meu pai tinha um caderno em seu sermão A minha mãe me deixar ler, onde ele havia escrito "A trilha da serpente.": ". Eu vou ser traído por alguém muito próximo a mim" Mais tarde, quando ela queria ver as notas de novo, ela Foi dito por Billy Paul que não havia notas, as páginas estavam vazias.
Também gostaria de mencionar algo que aconteceu após o acidente que sempre chateava mãe e eu. Meu pai precisava de uma transfusão de sangue imediatamente após o acidente. Ele tinha um tipo de sangue raro e eles tinham que enviar para outra cidade para isso. Se ele pudesse ter tido a transfusão de sangue no tempo talvez sua vida poderia ter sido poupada. Quão estranho seu próprio filho não doaria sangue nesse caso de emergência.
Só Deus conhece todos os fatos, mas depois que vi o documento datado do dia 26 de outubro de 1965, comecei a me perguntar ainda mais. Basta imaginar enquanto meu pai ainda estava vivo, meu irmão apareceu perante um cartório público como William Branham para transferir o William Branham Associação Evangelística em outra corporação. O documento está em minha posse. Ele assinou como William Branham Jr. Foi registrado em 4 de novembro de 1965 às 15:45 com a "Comissão de Corporação Arizona."
Recentemente, um notável advogado em Nova York examinou o assunto e mostrou-me diferentes extratos bancários que ainda estão em minha posse. Um mostra o montante em dinheiro de 3.113.676 mais ações 130.645 mais outras coisas. Este dinheiro foi deixado intocado desde a partida de meu pai. De acordo com o documento notarial é fixado por 25 anos. Estou me perguntando o que será feito com a grande soma de dinheiro acumulada até agora, depois do 26 de outubro de 1990.
Após as coisas acidente mudou dramaticamente. De repente, Billy Paul estava na posse de muito dinheiro. Ele construiu uma casa personalizada com todos os acessórios de ouro e móveis personalizados. Minha mãe estava muito chateada.
É um fato conhecido do que as companhias de seguros estão aqui para rasgá-lo fora. Isso é o que as companhias de seguros têm vindo a fazer nos últimos 100 anos, e continuam a fazê-lo! A maioria dos empregadores são obrigados pelas companhias de seguros a testar drogas! Desafiar a companhias de seguros e de drogas testes hoje com a ajuda de uma loja de marca nova droga.
Ela me disse que Billy Paul tinha fixado de tal forma que ele vai acabar com tudo. Isso se tornou óbvio. Sua casa em Tucson está vazia e eu não tenho lugar para ficar. A mãe disse-me que tinha falsificado a assinatura de meu pai naquele documento mencionado para fazer uma associação que lhe desse o poder e o acesso sobre o dinheiro que meu pai deixou para trás.
Billy nunca tinha nada a ver com a mãe. Ele costumava vir para a casa talvez uma vez por ano. Mas eu costumava vê-lo se levantar no púlpito em reuniões e dizer o quanto ele ama mãe quando eu sabia que era uma mentira. Minha mãe costumava ficar tão chateada com todas as doutrinas diferentes que estavam acontecendo e que Billy Paul não iria tentar detê-los ou pelo menos representar seu pai, que ele alegou amar tanto.
Minha mãe perdeu a confiança e o respeito nos irmãos que fingiam pregar a mensagem e em tudo o que faziam. Ela costumava se referir ao "Tabernáculo Branham" como "canto Collin" e fez suas observações. Ela disse que o espírito que estava com meu pai não estava mais lá, mas o Rev. Collins tornou um lugar de blasfêmia. Perguntou-se como Billy Paul permitiria que aquele homem fosse um pastor do tabernáculo.
Também gostaria de mencionar que Billy Paul deu 75.000 dólares do dinheiro da igreja para o Sr. Doug McQuiz em Tucson para iniciar a sua igreja e um negócio de construção. Quando a mãe descobriu, implorou a Billy para não fazê-lo. Mas, claro, ele fez. O Sr. Doug McQuiz nunca pagou de volta a este dia e reivindica que era um presente de um amigo rico. Quando eu pedi a ele para me ajudar porque eu estava em tal necessidade, ele disse: "Vá para o trabalho ..."
Da herança familiar, recebi a minha parte de 55.000 dólares depois que a minha mãe faleceu. O Rev. Pearry Green de Tucson apresentando-se bem como o pastor da família Branham sugeriu que eu lhe dê 50.000 que ele iria investir em uma agência de viagens. Ele disse: "A partir deste momento você não precisa se preocupar mais. Você pode ir com os missionários a Guatemala e todos os meses você receberá seu apoio. "Eu não me lembro exatamente se foi três, quatro ou cinco vezes ele enviou um apoio mensal. Então ele me informou que as coisas não funcionaram como esperava, e não vimos o resto do dinheiro até o dia de hoje. Mas nós não éramos os únicos a cair na armadilha com ele.
Muito em breve espero que as coisas venham à luz que foram feitas errado, incluindo com todos os pastores na mensagem que tomam o décimo (os dízimos) das pessoas e tratar as grandes somas de dinheiro como sua renda privada. Eles estão se escondendo atrás de algumas declarações meu pai fez a este respeito, não mencionando o fato de que ele próprio chamou um salário da igreja. Até esta data o dinheiro dado no "Tabernáculo Branham" em Jeffersonville vai no tesouro da igreja. Eu estava pronto para levar toda a matéria para a corte, mas irmão Frank me disse para não fazê-lo porque é contra a Escritura (I Cor. 6).
Neste ponto, devo mencionar que tive uma experiência muito especial em maio de 1989, quando me disseram para ir conhecer o irmão Frank na Alemanha. Muito claramente, e eu digo isto diante de Deus Todo-Poderoso, eu vi uma reunião enorme onde meu pai estava pregando como de costume. Depois do sermão, uma linha de oração foi chamada e eu estava na linha de oração. Quando chegou a minha vez de receber oração, foi-me dito: "Vá e veja o irmão Frank." Claro que fui tomada de surpresa, perguntei espontaneamente: "Irmão Frank na Alemanha?" E a resposta foi bastante comandante: "Sim, vá e veja Irmão Frank na Alemanha. " No início de junho deste ano passei uma semana no Centro Missionário em Krefeld, na Alemanha Ocidental. Com meus próprios olhos vi como o alimento armazenado estava disponível nas diferentes línguas. Porque me disseram que eu deveria ir ver o irmão Frank, eu conversava confidencialmente com ele. Como meu marido e eu não podíamos acompanhar nenhuma das estranhas doutrinas, é claro que fomos expulsos da participação no dinheiro que foi generosamente dado aos membros da família, bem como para fins de missão.
Quando eu estava prestes a dar à luz outra criança, pedi ao meu irmão Joseph que me desse 1.500 dólares para cobrir as despesas hospitalares. Sua resposta foi: "De onde você acha que eu posso conseguir esse dinheiro?" Fui para Rev. Pearry Green E ele me mandou embora com "quase nada. Minha irmã Becky me levou ao Bem-Estar enquanto vivia na casa que é tão mina como a dela. Estávamos, naturalmente, não apenas decepcionado que estávamos aborrecidos vendo o luxo o resto da família e também especialmente os ministros nesta mensagem estão a desfrutar.
Estávamos ficando amargos porque fomos humilhados tantas vezes tendo que pedir dinheiro para alimentar nossos oito filhos. Os irmãos que se apresentam pois diante dos crentes também terminaram meu marido Eddy, que é um ministro ordenado com um diploma da Universidade de Tucson. Claro que ele não poderia ir junto com cada vento de doutrina ou se tornar um escravo do homem.
É muito fácil espalhar o rumor em todo o mundo que Irmã Sarah age estranho, mas encobrir os fatos que me fez agir da maneira que eu faço. Da mesma forma, é muito fácil espalhar o boato de que a irmã Jackson da África do Sul está mentalmente doente, ao mesmo tempo mantendo o segredo por que ela desembarcou em uma instituição mental. Todos os lideres sabem sobre os 65.000 dólares que o irmão Sidney Jackson deu ao reverendo Pearry Green, que prometeu levá-lo como um co-pastor e acomodá-lo em Tucson. Após o falecimento do irmão Jackson, é claro, a irmã Jackson ficou sem dinheiro, implorou ao reverendo Green e até outros irmãos se aproximaram dele e finalmente ele nega ter recebido o dinheiro. Eu só espero que outros que também foram enganados terão a coragem de vir acima com suas histórias e reivindicações.
Eu não disse nada além da verdade. Minha família e outros me empurraram através de coisas terríveis, dormindo em parques, aeroportos, etc. Para verdadeiramente eles são responsáveis juntamente com os ministros ricos para a bagunça na Noiva. Olhe para minha família e a maioria dos ministros, você vê entre eles diamantes, roupas de grife, carros de fantasia e escritórios. A maioria deles usou os dízimos das pessoas para comprar imóveis e investimentos, agências de viagens. Aqueles que têm grandes congregações bem-off tornaram-se multimilionários. Todos esses ministros ficaram ricos usando o nome de meu pai.
Gostaria de agradecer a todos vocês que estão nos ajudando durante este período de dificuldades.
Creio que o retorno de nosso Senhor está muito próximo. As coisas que não são certas entre o povo de Deus devem ser endireitadas imediatamente. Se não estamos dispostos a fazê-lo, a lei terá que fazer isso por nós.
Acabo de dar-lhe esta pequena informação para que você saiba que aqueles que assumiram a responsabilidade depois que meu pai faleceu não são de todo o modo como se apresentam. Deus terá de levantar homens segundo Seu próprio coração que não têm desejo de fama e dinheiro. Talvez da chamada Noiva, que está dividida em tantas direções diferentes, o Senhor terá de chamar os Seus eleitos que irão em uma direção e que é o caminho ordenado por Deus de acordo com a mensagem que meu pai pregou das Sagradas Escrituras. Creio que ele nos trouxe de volta à Palavra original. É a Mensagem ordenada de Deus que irá preceder a segunda vinda de Cristo, não todas as falsas interpretações da mensagem.
Que Deus abençoe todos vocês, por favor orem por nós.
Sarah Branham De Corado
PO Box 20323 Columbus Circle Nova Iorque, NY 10023

Texto no Original extraído do site ( texto original no Inglês)
Sarah Branham's Testimony
New York, July 1989
To the Bride of Christ – the followers of the message
Because many people that I have approached for help through all these years have asked me the reason why I am in need – the only one of Brother Branham’s children, including grandchildren and in-laws, while all of them live in the luxuries and comforts that the world can provide. Since none of them have ever worked; why am I not included in this?
I feel I should expose publicly several things that have happened all going back since the days when my father was killed. As you know my mother and I were the only survivors of it. Now she has passed away and I am the only living witness of what actually happened in the car.
I don’t know how many times my mother told me: “Take it with you to the grave.” What she meant by that I have to tell you now. It seems that I cannot live with it no more and I am sure I couldn’t die with it. I’m getting so nervous even thinking about it, simply cannot bare it any longer. In the way I look at it, it is indirectly connected with my father’s accident.
I remember that my father was very troubled before we left Tucson for the Jeffersonville meetings where he was to preach “The trail of the serpent” and expose names of the people of this message that were doing wrong including family members. In this tension we left Arizona. The last argument before we left was because my sister Becky wanted to stay in the apartment with her friend Betty Collins. My father never wanted her to stay. Finally he gave in as mother had already agreed and left her there. She gave her word that she would not leave the apartment.
All day my father was troubled and he would stop and call but she didn’t answer. We traveled until we stopped at evening time to eat. My father ordered his food and then I hear him tell mother: “I am going to call Becky one more time.” He called and came back to the table very upset. He turned to mother and said: “She’s not there.” He had ordered a piece of pie but never ate it. When we left Joseph went in the car with Billy Paul and Loyce which never would have happened any other time.
Just because my father was so troubled he never even noticed it. I got in the back seat, mother and father in the front. They started to argue right away. He was very upset, because Becky was not in the apartment as she had promised. Mother started taking up for her. My father turned to mother and said, “You know where she is.” Mother started crying saying, “Please, Bill…” I laid down in the back seat of the car, because I was very upset too, as this was the first time I had ever seen and heard them argue in that tone. My father said, “I am going to expose many things and names this time.” My mother kept begging: “Please, no, Bill…”
I know my father was a very cautious driver, always keeping speed limits and observing the traffic. Under normal circumstances he would have reacted and avoided the car coming towards him. While speaking he looked over to mother during this unpleasant conversation. Just then it happened.
That was the last thing I remember from ;before the crash until I came to myself in the ambulance. Later I found out that Rebekah was with Pearry Green and they had a difficult time finding her to let her know about the accident. I was two months in the hospital.
When I came home my mother acted very nervous around me. Finally she approached me and wanted to know how much I had remembered from before the accident. She told me not to mention or talk about it ever again, but to take it with me to the grave.
My father had a notebook on his sermon “The trail of the serpent.” My mother let me read where he had written: “I will be betrayed by someone very close to me.” Later when she wanted to see the notes again, she was told by Billy Paul that there were no notes, the pages were empty.
Also I would like to mention something that happened after the accident that always bothered mother and me. My father needed a blood transfusion immediately after the accident. He had a rare blood type and they had to send to another city for it. If he could have had the blood transfusion in time maybe his life could have been spared. How strange his own son would not donate blood in that emergency case.
Only God knows all the facts, but after I saw the document dated the 26th day of October, 1965, I began to wonder even more. Just imagine while my father was still alive, my brother appeared before a Notary Public as William Branham transferring the William Branham Evangelistic Association into another corporation. The document is in my possession. He signed it as William Branham Jr. It was registered on Nov. 4, 1965 at 3:45 p.m. with the “Arizona Corporation Commission.”
Just recently a noted lawyer in New York looked into the matter and showed me different bank statements which are still in my possession. One shows the amount in cash of 3,113,676 plus stocks 130,645 plus other things. This money was left untouched since the departure of my father. According to the notary document it is fixed for 25 years. I am asking myself what will be done with the large sum of money accumulated by now after the 26th of October, 1990.
After the accident things changed dramatically. Suddenly Billy Paul was in possession of lots of money. He built a custom home with all gold fixtures and custom furniture. My mother was very upset.
She told me that Billy Paul had fixed it in such a way that he will end up with everything. This has become obvious. His house in Tucson is empty and I have no place to stay. Mother told me that he had forged my father’s signature on that mentioned document to make an association that would give him power and access over the money my father left behind.
Billy had never anything to do with mother. He used to come to the house maybe once a year. But I used to see him get up in the pulpit at meetings and say how much he loves mother when I knew it was a lie. My mother used to get so upset at all the different doctrines that were going on and that Billy Paul would not try to stop them or at least stand for his father which he claimed to love so much. My mother lost her confidence and respect in the brethren pretending to preach the message and in everything they did. She used to refer to the “Branham Tabernacle” as “Collin’s corner” and made her remarks. She said that the spirit which was with my father was no longer there, but the Rev. Collins has made it a place of blasphemy. She wondered how Billy Paul would allow such a man to be a pastor of the tabernacle.
Also I would like to mention that Billy Paul gave 75,000 dollars of the church money to Mr. Doug McQuiz in Tucson to start his church and a construction business. When mother found out she begged Billy not to do it. But, of course, he did. Mr. Doug McQuiz never paid it back to this day and he claims it was a gift from a rich friend. When I asked him to help me because I was in such a need, he said, “Go to work…”
From the family inheritance I received my share of 55,000 dollars after my mother passed away. The Rev. Pearry Green of Tucson presenting himself nicely as the pastor of the Branham family suggested that I give him 50,000 which he would invest into a travel agency. He said, “From this time you don’t need to worry any more. You can go as missionaries to Guatemala and every month you will receive you’re your support.” I don’t remember exactly whether it was three, four or five times he sent a monthly support. Then he informed me that things did not work out the way he expected, and we didn’t see the rest of the money until this day. But we were not the only ones falling into the trap with him. Very soon I hope things will come to light which were done wrong including with all the pastors in the message who take the tenth (tithes) from the people and treat the large sums of money as their private income. They are hiding behind some statements my father made in this regard, not mentioning the fact that he himself drew a salary from the church. Up to this date the money given in the “Branham Tabernacle” in Jeffersonville goes in the church treasury. I was ready to take the whole matter to court but Bro. Frank told me not to do it because it’s against the Scripture (I Cor. 6).
At this point I must mention that I had a very special experience in May 1989, when I was told to go and meet Brother Frank in Germany. Very clearly, and I say this before God Almighty, I saw a huge meeting where my father was preaching as usual. After the sermon a prayer line was called and I was in that prayer line. When my turn came to be prayed for I was told “Go and see Brother Frank.” Of course being taken by surprise, I asked spontaneously: “Brother Frank in Germany?” And the reply was quite commanding: “Yes, go and see Brother Frank in Germany.”
At the beginning of June this year I spent a week at the Mission Center in Krefeld, West Germany. With my own eyes I saw how the stored-up food was made available in the different languages. Because I was told that I should go and see Brother Frank, I had confidential talks with him. As my husband and I could not go along with any of the strange doctrines we of course were pushed out from participating in the money that was so generously given to the members of the family as well as for mission purposes. When I was about to give birth to another child I asked my brother Joseph to give me 1,500 dollars to cover the hospital expenses, his reply was: “Where do you think I can get this money from?” I went to Rev. Pearry Green and he sent me off with “next to nothing.: My sister Becky took me to the Welfare while living in the house that is just as much mine as hers. We were of course not only disappointed we were upset seeing the luxury the rest of the family and also especially the ministers in this message are enjoying.
We were getting bitter because we were humiliated so many times having to beg for money to feed our eight children. The brethren who present themselves pius before the believers have also finished my husband Eddy who is an ordained minister having a diploma of the Tucson University. Of course he could not go along with every wind of doctrine or become a slave of man.
It is very easy to spread the rumor all over the world that Sister Sarah acts strange but cover up the facts that made me act the way I do. In the same way it is very easy to spread the rumor that Sister Jackson from South Africa is mentally ill, at the same time keeping secret why she landed in a mental institution. All insiders know about the 65,000 dollars Brother Sidney Jackson gave to Rev. Pearry Green who promised to take him as a co-pastor and accommodate him in Tucson. After the passing away of Brother Jackson of course Sister Jackson being left without money she begged Rev. Green and even other brothers approached him in this matter and finally he denies having received the money. I only hope that others who were also cheated will have the courage to come up with their stories and claims.
I have said nothing but the truth. My family and others have pushed me through terrible things, sleeping in parks, airports, etc. For truly they are responsible along with the rich ministers for the mess in the Bride. Look at my family and most of the ministers, you see among them diamonds, designer clothes, fancy cars and offices. Most of them have used the tithes of the people to buy real estate and investments, travel agencies. Those having large well-off congregations have made themselves multimillionaires. All these ministers became rich using my father’s name. I would like to thank all of you who are helping us during this time of hardship.
I believe that the return of our Lord is very near. The things which are not right amongst God’s people must be straightened out immediately. If we are not willing to do it the law will have to do it for us. I have just given you this little information to let you know that those who have taken responsibility after my father passed away are not at all the way they present themselves. God will have to raise up men after His own heart who have no desire for fame and money. Perhaps from the so-called Bride which is split up into so many different directions the Lord will have to call out His elect who will go in one direction and that is God’s ordained way according to the message my father preached from the Holy Scriptures. I believe he brought us back to the original Word. It is God’s ordained Message which will forerun the second coming of Christ, not all the false interpretations of the message.
May God bless you all, please pray for us.

Sarah Branham De Corado P.O. Box 20323 Columbus Circle New York, N.Y. 10023

Nenhum comentário: