6 de janeiro de 2017

chuva temporã e chuva serôdia

CHUVA TEMPORÃ E CHUVA SERÔDIA

assim como tarde e manhã, também é serôdia e temporã, pois nos últimos dias haveria a restauração de tudo como foi no pentecostes. A primeira chuva temporã foi nos dias dos apóstolos há dois mil anos atrás e nos últimos dias, no tempo da colheita viria a chuva serôdia. Mas como os tempos sempre se repetem e não há nada de novo, nos dias do profeta, com os pentecostais caiu a chuva temporã para amadurecer o grão, mas é na serôdia que o Espírito Santo tira o povo de Deus dessa terra para vir o juízo.

"E vós, filhos de Sião, regozijai-vos e alegrai-vos no Senhor vosso Deus, porque Ele vos dará em justa medida a chuva temporã; farei descer no primeiro mês, a temporã e a serôdia" Jl 2:23

Significados: 
Temporã: Precoce, antes do tempo.
Serôdia: Que vem tarde, tardiamente.

Quando o profeta Joel escreveu sobre a chuva temporã e serôdia, Judá, vivia uma época de grande devastação. Uma enorme praga de locustas, havia aniquilado toda vegetação. Pastagens, tanto de ovelhas como de gado, morreram. Safras perdidas, fome e seca por toda parte.

Deus, através do profeta, convoca o povo ao arrependimento. O mal, sobre Judá, teria vindo por causa do pecado: "Congregai o povo, santificai a congregação, chorem os sacerdotes, ministros do Senhor" Jl 2:15,16.E em meio ao choro, pranto e arrependimento, Deus, envia promessa de abundância. Colheita a tempo e fora de tempo.

Campos devastados em nossas vidas:

Às vezes, estamos assim, vivendo a devastação. Como se uma praga de locustas devorasse nossos sonhos de paz e prosperidade. De repente, sem piedade. Nos tirando da "zona de conforto" Tudo que nossos olhos conseguem alcançar é destruição, tristeza. O que fazer?

Deus, através do profeta, orienta a busca pela restituição. Só o Senhor, pode restaurar os campos. Ele não convoca o povo a prantear pelo que se foi, mas pelo que haveria de vir. A busca, a total entrega a Deus, transformaria os campos: "Vos envio trigo, o mosto, e o azeite, e dele sereis fartos" Jl 2:19.

Ao cair a chuva temporã e serôdia, tudo seria restituído, em "justa medida". Assim é conosco. A chuva, poderá tardar ou vir precocemente, ela, inicia um novo tempo.

A chuva serôdia veio sobre ele:

Jacó: Trabalhou 20 anos para Labão. Este, mudou seu salário dez vezes. Jacó sofreu humilhação, fome, frio, foi roubado e trapaceado. Mas, quando Deus enviou a chuva serôdia sobre ele, Jacó, partiu em direção as promessas. A serôdia superabundou. Os campos outrora áridos se tornaram férteis. Na descendência de Jacó, também veio a restituição, um novo tempo. Jacó se chamaria Israel, descendência do Senhor. Gn 29,30,31.

Ela, recebeu a temporã:

Maria
: Noiva de José, ainda virgem, acolheu em seu ventre, O Salvador Jesus. Imagino o escândalo que o fato teria causado: "Aquela Maria, parece santa, mas, nem casou e já está grávida". Os olhares, as repreensões os murmurinhos. "a praga de locustas" se apresenta nos relacionamentos de Maria. Entre sua vizinhança, seus familiares, amigos. Como explicar? Como se apresentar a sociedade? Quem acreditaria nessa história de "gerado através do Espírito Santo"? A locusta devorava em meio a chuva temporã. Maria, a mais agraciada, de todas as mulheres, grávida antes do tempo. Os frutos dessa chuva, abundaram para a vida eterna. Jesus, marcaria a humanidade para todo o sempre, passando até a dividir a história em a.c e d.c. Um novo tempo, nasce o Salvador!

Ele sustenta:

Quando Deus envia a temporã e a serôdia, Ele capacita para a colheita. Aleluia!! Ele sustentou Jacó, Maria, sustentará a mim e a você.

Nenhum comentário: